top of page

O Que Você Precisa Saber sobre Emoções

Atualizado: 27 de ago. de 2021


O que são emoções?


Emoções podem ser definidas como ''adaptações universais aos desafios, geneticamente determinadas, no ambiente evolucionário relevante'' (Nesse & Ellsworth, 2009). Em outras palavras, são respostas a determinados estímulos ambientais que ficaram programadas em nossos genes porque ajudaram a nossa espécie a sobreviver.


Pra que elas servem?


As emoções foram mantidas ao longo da história evolutiva porque desempenharam papéis importantes para a nossa sobrevivência. Por exemplo: o nojo nos afasta do contato com elementos tóxicos ao nosso organismo; o medo nos faz evitar situações perigosas; a raiva nos prepara para agir diante de ameaças.


As emoções são iguais pra todo mundo?


A expressão emocional recebe influência de diversos fatores, como a genética, a cultura e a história de vida de cada um. No entanto, existem estudos mostrando que algumas emoções são universais, ou seja, são identificadas em todos os povos. Atualmente, entende-se que há pelo menos cinco emoções que podem ser consideradas universais: a alegria; a tristeza; a raiva; o nojo e o medo.


Existem emoções boas e ruins?


Nenhuma emoção é boa ou ruim. É claro que algumas são mais penosas (como a tristeza e a raiva), mas cada uma tem seu papel na interação com o mundo. Apesar da cultura nos orientar a evitar certas emoções, como a inveja ou o ciúme, todos temos esses sentimentos em algum momento da vida. E não há nada de errado em sentir uma emoção. O problema é como você age diante dela.


Emoção e Sentimento são a mesma coisa?


Geralmente usamos as duas palavras como sinônimos, mas alguns estudiosos entendem que, quando falamos do conceito de Emoção, estamos nos referindo às reações fisiológicas e universais, ou seja, quando estamos tristes, ficamos cabisbaixos, calados e choramos. Quando falamos do conceito de Sentimento, estamos nos referindo à experiência subjetiva dessas reações, ou seja, como a nossa mente interpreta aquilo que é sentido. Seguindo o exemplo da tristeza, as reações citadas acima podem estar associadas a lembrança de outros momentos tristes da vida e a pensamentos negativos sobre si e sobre o futuro (''nunca serei feliz'', ''sou um fracasso'', etc.)


Como lidar com emoções difíceis como a tristeza, a raiva e o ciúme?


Ao invés de olhar para essas emoções de forma moralista, observe o que ela significa. A inveja, por exemplo, significa que você valoriza algo que alguém possui (uma habilidade, status, poder, etc.) e você não. Em vez de ofender ou criticar alguém, podemos tentar encontrar o significado dessa inveja para em seguida pensar em formas alternativas de agir diante do que sentimos. No caso da inveja, o pensamento poderia ser o seguinte:


''Acho que sinto inveja dela por ser bem sucedida profissionalmente. Como poderia ter uma carreira de sucesso como a dela? Como ela conseguiu? Quem poderia me ajudar a alcançar meus objetivos? Será se ela mesma não poderia me ajudar?''


É possível ter controle sobre nossas emoções?


É impossível ter controle absoluto sobre como nos sentimos, pois boa parte da expressão emocional se deve a componentes genéticos e biológicos. Por outro lado, nossas emoções sofrem uma forte influência dos nossos pensamentos. A história de vida e o meio social (família, cultura, etc.) fazem com que cada pessoa desenvolva algumas crenças sobre como devemos nos sentir e como nos expressar emocionalmente. Por exemplo, meninos costumam crescer com a crença de que ''é errado sentir medo e chorar''. Essa crença obviamente não os impede que esses sentimentos surjam, mas pode gerar a incapacidade de expressá-los, fazendo com que desenvolvam estratégias disfuncionais para lidar com o sentimento do medo quando adultos, como o abuso de álcool e outras substâncias.


Como a psicoterapia pode me ajudar a lidar com emoções?


O principal ponto é ajudar você a entender as próprias emoções. Por exemplo, se você tem dificuldades para lidar com a vergonha, será fundamental entender o que te faz se sentir assim (lugares, situações, pessoas); como a vergonha se manifesta no seu corpo (vermelhidão no rosto? Suor nas mãos? Tremores?); o que você faz quando se sente envergonhada(o); o que passa pela sua cabeça quando se sente envergonhado (''as pessoas vão rir de mim!'', ''vão achar que sou burra'', etc.

Com isso, vamos tentar elaborar hipóteses sobre o que gera - e o que mantém - o seu sentimento de vergonha. Além disso, poderemos tentar identificar que crenças você tem sobre esse sentimento (''Eu não deveria me sentir envergonhada disso''; ''A vergonha não vai passar nunca'', ''Não faz sentido eu me sentir assim'').

Posts recentes

Ver tudo

Lidando com expectativas sobre a aprovação

É fácil entender por que o concurso público atrai tanta gente. Afinal, tomar posse pode nos poupar das incertezas do mercado, mudar nossa situação financeira e garantir uma aposentadoria. Embora isso

Comments


bottom of page